Conape realiza o 6º Encontro de Mulheres e Pensionistas de Anistiados

A Conape realizou, na quarta-feira (26/11), o seu 6º Encontro de Mulheres e Pensionistas de Anistiados, na sede da entidade no Centro do Rio de Janeiro. O encontro foi aberto pelo presidente da Conape, Abelardo Rosa Santos. Ele disse que aquele encontro é muito importante para a entidade, pois demonstra que ela está ativa e que as mulheres têm se destacado. Ao final de sua fala desejou Boas-Festas a todas/os.

Com número cada vez mais crescente de participantes, o evento aproveitou para celebrar o final de 2014 e dar boas-vindas a 2015. As mulheres e pensionistas de anistiados realizaram também o tradicional “amigo oculto”, onde promovem a amizade, trocam presentes e degustam saborosos doces, salgados e refrigerantes.

Mas antes da confraternização teve o momento de colocar as questões administrativas em dia, por meio de discussões de temas de interesses da entidade, dos/as associados/as.

6_Encontro_abelardo_web

O evento foi coordenado pelas diretoras Idinéa Nicacio da Silva e Ina Soares Lutterbach, com o suporte da advogada Cláudia Dalla Costa, da assistente social Maria do Carmo e Ana Paula (administrativo e atendimento). A diretora Marly Gomes de Andrade não pode comparecer por questões pessoais.

A diretora Idinéa conclamou as mulheres a continuarem atuantes em prol da Conape, para que a entidade permaneça viva. Destacou o exemplo dos homens e saldou a disposição do diretor Eylan Soares Pinto, falecido a 19/11/14, que mesmo com a saúde debilitada comparecia à entidade para colaborar com suas atividades de tesoureiro. Saldou também o presidente Abelardo Santos, que tem atuado ininterruptamente.

A Dra. Cláudia Dalla Costa explicou uma série de procedimentos jurídicos, entre eles a questão da habilitação dos filhos (junto ao Ministério do Planejamento) como dependentes dos pais, após o falecimento destes. Explicou que os filhos não podem ser dependentes dos pais, salvo se for comprovado problema grave que impeça algum filho/a de ser uma pessoa totalmente capaz. Mas não é uma tarefa fácil habilitar um/a filho/a como dependente, pois dependerá de perícia médica, entre outros procedimentos que comprovem a situação. Pediu que as pessoas que tiverem dúvidas sobre o assunto que procurem a Conape.

A assistente social, Maria do Carmo, explicou que o tema habilitação dos filhos ocorre no âmbito do INSS da mesma forma que no Ministério do Planejamento, ou seja, para se habilitar um/a filho/a como dependente precisa passar pela perícia médica. Os habilitados a dependentes do pai falecido são a esposa, a companheira de união estável (comprovada) e os filhos até 21 anos de idade. Filhos inválidos, acima de 21, para serem habilitados precisam de perícia médica. Maria do Carmo explicou, também, os direitos dos/as associados/as quanto ao Benefício Farmácia e o funcionamento deste. Em caso de dúvidas sobre esses, entre outros, temas procurem a Conape.

Fonte: Imprensa da Conape.